Xiconhoca
Escrito por Redação  
Sábado, 02 Fevereiro 2019 22:54
Share/Save/Bookmark

Os nossos leitores elegeram as seguintes Xiconhoquices na semana finda:

Decisão da Frelimo na Comissão Permanente da AR

Mais uma vez os deputados da Frelimo demonstraram, até à náuseas, a sua Xiconhoquice diante de um caso que tem estado a mexer com os moçambicanos. Ou seja, a ditadura do voto do Grupo Parlamentar do partido Frelimo na 1ª Comissão da Assembleia da República aprovou o pedido do Tribunal Supremo de prisão preventiva do deputado Manuel Chang. Tal como era expectável, o bando e improdutivos do partido Frelimo na Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade da Assembleia da República(AR) garantiram que a prisão preventiva do antigo ministro das Finanças possa acontecer em Moçambique chancelando um pedido do Tribunal Supremo. Tudo isso não passa de uma manobra de obstrução da justiça norte-americano levada a cabo pela Procuradoria-Geral da República, e do Governo de Filipe Nyusi, para evitar a extradição de Manuel Chang da África do Sul. Eis mais uma prova de que o Estado moçambicano fi assaltado por um bando de bandidos.

Violadores sexuais

As autoridades moçambicanas continuam a levar de ânimo leve os casos de violação sexual que têm vindo a acontecer quase todos os dias. Aliás, parece que o fenómeno continua incontrolável. Os violadores continuam ímpunes para o terror das vítimas. Por exemplo, a Polícia da República de Moçambique (PRM), em Manica, deteve mais um adulto, suspeito de abusar sexualmente da sua própria neta, de três apenas anos idade, na cidade de Chimoio. É o segundo caso divulgado pelas autoridades, este ano, volvidas mais de duas semanas, numa província onde há cada vez mais crianças a serem desonradas. É deveras preocupante essa situação. A as autoridades moçambicanas deveriam castrar os indivíduos que praticam tais actos.

Queda no ranking da corrupção

Como sempre o nosso país continua a liderar o ranking das piores coisas. Por mais patriota que se seja, não há como ter orgulho de um país que aparece no topo da lista como exemplo dos piores países. Desta vez, Moçambique, de acordo com avaliação da Transparência Internacional sobre o Índice de Percepção da Corrupção, aparece com um dos países mais corruptos da África. Está claro que a falta de responsabilização dos grandes corruptos durante os 4 anos de governação de Filipe Nyusi afundou Moçambique no Índice de Percepção da Corrupção: em 2015 o país ocupava a posição 111 e em 2018 está no lugar 161. Bem, este facto não deveria nos deixar espantado, pois já é sabido o tipo de Governo que temos.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom