Pergunta a Tina: qual é o nível de CD-4, do qual a pessoa vivendo com HIV é considerada de agente passivo, não passa vírus HIV?
Vida e Lazer - Pergunte a Tina
Escrito por Tina  
Sábado, 16 Março 2019 09:47
Share/Save/Bookmark

Foi com muita satisfação que voltei a ler coisa do género, carga viral indetectável de HIV não transmissível, confesso que a priori não dei crédito. Porém, tendo esta nova chance de reler nesta vossa página, surge atiçada a minha curiosidade em torno da matéria, a saber: qual é o nível de CD-4, do qual a pessoa vivendo com HIV é considerada de agente passivo, não passa vírus HIV, sabendo que a carga de padrão máxima é de 1.500? Obrigado, e ansioso estou em ter a vossa ajuda em ter essa informação. Bom trabalho! Matavel

Obrigado, Matavel. Realmente, o conhecimento de que uma pessoa com HIV que tenha uma carga viral indetectável não transmite o HIV (Indetectável = Intransmissível) mesmo não usando a camisinha, só recentemente é que teve confirmação científica unânime.

Mas isto só é verdadeiro para a carga viral. Por mais elevada que seja a contagem de CD4 não é possível afirmar-se que a infecção é intransmissível, se não sabemos a carga viral.

Na verdade, em geral, numa pessoa com HIV que não esteja a receber Tratamento Anti-Retroviral (TARV), quanto mais baixa for a carga viral, maior será a contagem de CD4. No entanto, esta relação já não é verdadeira para as pessoas que estão a receber TARV. Por isso, pode acontecer que uma pessoa tenha por exemplo, uma contagem de CD4 de 500, com uma carga viral de 250 000 e outra pessoa tenha a mesma contagem de CD4, mas com uma carga viral de 2 500 apenas. A contagem de CD4 é muito flutuante, na dependência de inúmeros factores que não interessa agora detalhar.

Em resumo, não há uma relação entra a carga viral e a contagem de CD4 numa pessoa que está a receber TARV. Portanto, só se pode falar em Intransmissibilidade quando a carga viral é Indetectável, independentemente do valor da contagem de CD4.

Vale a pena lembrar que, em face desta descoberta recente, a ONUSIDA recomenda que todas as pessoas em TARV deveriam ser informadas deste facto. A transmissão desta informação às pessoas recebendo TARV, incentiva-as a atingir a meta Indetectável e mantê-la, através do cumprimento rigoroso e aderência ao tratamento.

Também, o conhecimento disso por parte das pessoas em TARV, reduz o auto-estigma, alivia o sentimento de culpa em relação à transmissão potencial, e permite a prática sexual sem receios.

Se as comunidades tiverem conhecimento disto, as pessoas que têm dúvidas sobre o seu estado HIV irão sentir-se mais motivadas para ir fazer o teste de HIV e as pessoas sero-negativas terão menos receios de apanhar o HIV.

Por isso, querido Matavel, o importante em termos de transmissão não é a CD4, mas a carga viral: Indetectável = Intransmissível.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom