Soltas <


Educação recebe 57,9 milhões de dólares e tem o desafio de travar a desistência das crianças da escola
CAMPUS - Soltas
Escrito por Redação   
Segunda, 25 Maio 2015 07:51

A Parceria Global de Educação aprovou o desembolso de 57,9 milhões de dólares norte-americanos, para o período 2016-2018, solicitados por Moçambique para o ensino primário. Todavia, as altas taxas de abandono escolar, o défice de leitura, escrita e a fraca habilidade na matemática nas crianças permanecem um desafio para o país na medida em que afectam negativamente as taxas de conclusão da fase primária, da alfabetização e da transição para o ensino secundário.

 
Educação procura 58 milhões de dólares para a construção de 38 mil salas de aula
CAMPUS - Soltas
Escrito por Intasse Sitoe   
Quinta, 14 Maio 2015 11:23

O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH) necessita de pelo menos 58 milhões de dólares norte-americanos para a construção de 38 mil salas com vista a acabar com as aulas ao relento ou debaixo das árvores em diversas zonas de Moçambique e pretende reduzir o número de alunos por turma, dos actuais mais de 60 por docente, para 35 a 40 instruendos.

 
36 mil professores moçambicanos sem vocação para educar
CAMPUS - Soltas
Escrito por Redação   
Terça, 12 Maio 2015 08:39

Pelo menos 36 mil, dos 120 mil professores moçambicanos não estão habilitados a leccionar, facto que, aliado a turmas numerosas e ao fraco incentivo salarial, concorre para a fraca qualidade de ensino, um problema mais notável no ensino primário, nível em que se considera que o domínio da leitura e escrita é fraco e tem repercussões graves nos níveis subsequentes.

 
“Educação para Todos” ainda é um discurso no papel
CAMPUS - Soltas
Escrito por Emildo Sambo   
Segunda, 04 Maio 2015 07:23

Moçambique, que dispõe de 13 mil escolas primárias, aumentou expressivamente o número de acessos e ingressos nas escolas, as quais igualmente cresceram. De 19.161 salas de aula convencionais, em 2004, passou para 32.120, em 2012. Neste ano, havia 60 mil salas de aulas, das quais cerca de 28 mil (46%) eram precárias, isto é, de pau-a-pique ou maticadas. Porém, avanços numéricos, também desencadeados num mundo, camuflam uma realidade já conhecida, mas ainda sem solução, a baixa qualidade do ensino, que tem vindo a decrescer de governação em governação e tende a atingir as instituições de formação superior devido à má preparação dos alunos nas classes precedentes.

Actualizado em Terça, 19 Maio 2015 10:10
 
Empresas e instituições de ensino superior empenham-se pouco na investigação em Moçambique
CAMPUS - Soltas
Escrito por Luís Rodrigues   
Segunda, 04 Maio 2015 07:21

Moçambique continua um dos países no mundo cujas empresas e instituições de ensino superior empenham-se muito pouco na investigação científica, o que faz com que a pesquisa não tenha peso no desenvolvimento socioeconómico, segundo a vice-reitora da Universidade Lúrio, Emília Normahomed.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 8 de 35