Desaceleração do PIB em Moçambique e pagamentos dos Mega Projectos ditam aumento das Reservas Obrigatórias em divisas
Tema de Fundo - Tema de Fundo
Escrito por Adérito Caldeira  
Quinta, 07 Março 2019 07:13
Share/Save/Bookmark

A desaceleração da economia moçambicana, que caiu para 3,3 por cento, e a balança de pagamentos do último trimestre de 2018, onde o destaque é o crescimento em 143 por cento da factura de serviços importados pelos Mega projectos, surpreenderam o Banco de Moçambique que nesta quarta-feira (06) reuniu numa inédita sessão extraordinária do Comité de Política Monetária onde decidiu aumentar o coeficiente de Reservas Obrigatórias em moeda estrangeira de 27 para 36 por cento.

Através de um lacónico comunicado o Banco de Moçambique informou que o seu Comité de Política Monetária (CPMO) reuniu em sessão extraordinária, inédita, onde “decidiu manter a taxa de juro de política monetária, taxa MIMO, em 14,25 por cento”.

“Adicionalmente, em face da disponibilidade de novas informações que apontam para o agravamento da percepção dos riscos externos e consequente maior volatilidade do Dólar no mercado internacional, comparativamente à avaliação feita na última sessão, o CPMO deliberou aumentar o coeficiente de Reservas Obrigatórias em moeda estrangeira em 900 pontos base, para 36 por cento, com efeitos a partir do período de constituição que inicia no dia 7 de Março de 2019, tendo mantido as taxas da Facilidade Permanente de Depósitos e da Facilidade Permanente de Cedência em 11,25 por cento e 17,25 por cento, respectivamente, bem assim o coeficiente de Reservas Obrigatórias para os passivos em moeda nacional em 14 por cento”, acrescenta o documento recebido pelo @Verdade.

Diante da nova postura de mutismo do BM o @Verdade entende que os “riscos externos” referidos estão directamente relacionados com os dados preliminares da balança de pagamento, que não estavam disponíveis quando se realizou o 1º Comité de Política Monetária de 2019, a 11 de Fevereiro passado.

O CPMO teve de tomar estas medidas para que as importações, que cresceram 18,1 por cento comparativamente as exportações que aumentaram apenas 10 por cento, não causem ainda mais pressão no mercado cambial. É que desde Outubro o metical tem vindo a depreciar-se tendo sido vendido nesta quarta-feira (06) a 63,44 meticais no maior banco comercial a operar em Moçambique.

Analisando esta conta que regista as transacções de Moçambique com o exterior o @Verdade apurou que contribuiu significativamente para o aumento das importações os serviços contratados ao exterior que entre 2017 e 2018 dispararam 39,4 por cento, de 2,9 biliões para 4,2 biliões de dólares norte-americanos. Especificamente rubrica de importação de “Assistência Técnica e Outros Serviços Relacionados com Comércio” para os Mega Projectos da indústria extrativa aumentaram em 143 por cento, de 1,2 bilião em 2017 para 2,8 biliões de dólares norte-americanos em 2018.

Proteger as Reservas Líquidas Internacionais, manter a inflação baixa e deixar o cambio flexível

ArquivoOutros factores que ditaram a sessão extraordinária do Comité de Política Monetária, na óptica do @Verdade, estão relacionados com os números das Contas Nacionais do 4º Trimestre que mostraram uma economia ainda em desaceleração, para níveis do ano 2000, ficando-se por um módico crescimento de 3,3 por cento, comparativamente a perspectiva de 5,3 do Governo de Filipe Nyusi.

O crescimento esteve abaixo das expectativas, até do Fundo Monetário Internacional, em todos os sectores com excepção dos não produtivos de Administração Pública, Defesa e Segurança e da Educação.

É entendimento do @Verdade que a alteração apenas do coeficiente de Reservas Obrigatórias em moeda estrangeira, de 27 para 36 por cento, visa objectivamente para reter mais divisas no banco central para atingir um dos principais objectivo da Política Monetária actual que é a protecção das Reservas Líquidas Internacionais(RIL) que permitem 7 meses de importação de bens e serviços, no entanto quando incluídas as transacções dos Mega Projectos esse conforto baixa para 4 meses.

Desde que Rogério Zandamela assumiu são objectivos do Banco de Moçambique é proteger as RIL, manter a inflação baixa e deixar o cambio flexível ao mercado.

A expectativa nos próximos tempos é saber como vai o mercado reagir também tendo em conta os riscos internos que o BM não especifica mas o @Verdade tem revelado estarem a influenciar a economia, são o caso Manuel Chang, as negociações para a da Paz definitiva e até mesmo Comité Central do partido Frelimo.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Quinta, 07 Março 2019 07:42
 
Avaliação: / 0
FracoBom