Depois do Mundial, “Samurais” fazem moçambicanos sonhar com Jogos Olímpicos
Tema de Fundo - Tema de Fundo
Escrito por Adérito Caldeira  
Domingo, 17 Novembro 2019 23:22
Share/Save/Bookmark

Foto FIBADepois de terem colocado Moçambique num mundial de basquetebol, em 2014, as “Samurais” deixaram os moçambicanos a sonharem com uma participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 após derrotarem o Senegal neste domingo (18). Sem apoios para preparação e nem uma mensagem do Presidente, que pessoalmente tem prestado apoio aos perdedores “Mambas”, Leia Dongue pediu “apoiem a nossa selecção”.

Sem competirem desde 19 de Agosto e quase sem apoios para a preparação que precisavam, e merecem, a principal selecção de basquetebol feminina de Moçambique voltou a trazer-nos alegrias.

Foto FIBAEstrearam no sábado (16) com uma derrota diante das campeãs africanas, o seu grupo no pré-olímpico africano ficou com apenas duas selecções devido a desistência da República Democrática do Congo, mas neste domingo (17) as “Samurais” entraram na quadra do pavilhão do Maxaquene para vencer. Ingvild Mucauro abriu o placar, Elizabeth Pereira converteu dois lance livres e Ingvild encestou ou lançamento livre antes do Senegal conseguir fazer os seus 2 primeiros pontos. Oumoul Khairy Sarr empatou e com uma bomba colocou as senegalesas na frente. Mas Ingvild respondeu e Moçambique voltou a liderar o marcador, mas foi de pouca dura. O Senegal fez nova cambalhota e venceu o 1º período por 10-9 pontos.

Leonel Manhique mexeu pela primeira vez no cinco que começou a partida, Tamara não estava a entrosar com a equipa e lançou Odélia Mafanela que abriu as hostilidades no 2º período e deu nova vantagem a Moçambique. O Senegal empatou com outro triplo, as tentativas de 3 pontos da nossa selecção não caíam, valeu a raça de Odélia para manter as “Samuraias” na frente e sairem para o intervalo a vencerem 18-26 pontos.

Foto FIBATamara Seda regressou melhor dos balneários marcando os primeiro pontos do 3º período e abrindo a vantagem para 10 pontos, os triplos do Senegal entravam, as defesas jogavam melhor que os ataques e conseguiram reduziram para 2 pontos a desvantagem.

Durante os primeiros 5 minutos do último período Moçambique só conseguiu somar pontos da linha de lances livres que foram no entanto decisivos para construir nova vantagem no marcador. O Senegal dava luta mas galvanizadas pelo incansável apoio nas bancadas, o pavilhão não esteve cheio, as “Samurais” mostraram a sua garra nos minutos finais. Elizabeth Pereira acertou o primeiro triplo para a selecção e Ingvild dilatou para 9 a vantagem.

Leia Dongue pediu a todos “apoiem a nossa selecção”

Com menos de 2 minutos para jogar as senegalesas não entregaram o jogo e encurtaram a vantagem, novamente da linha de lances livres Moçambique voltou a encestar, primeiro Delma Zita e depois Ingvild Mucauro garantiu o apuramento por 49-56 pontos.

Das suas 12 jogadoras Leonel Manhique jogou grande parte da meia-final com apenas 7 jogadores. “Nós estamos preparados para jogar com 5 jogadoras 40 minutos se fôr preciso”, disse o seleccionador ao @Verdade que admitiu a falta que as internacionais que por diversos motivos não puderam juntar-se à equipa fizeram contudo Manhique deixou claro que “só faz falta quem está cá”.

Agora a selecção de Leonel Manhique é uma das 16 que de todo mundo vão disputar em Fevereiro as 12 vagas dos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020. Leia Dongue, uma das “Samurais” que inscreveu o nome de Moçambique no Mundial de 2014 na Turquia, pediu a todos “apoiem a nossa selecção”.

A outra vaga do nosso continente ficou com a Nigéria que derrotou o Mali, na outra meia-final, por 74-59 pontos.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Actualizado em Segunda, 18 Novembro 2019 08:25
 
Avaliação: / 2
FracoBom