SELO: Tráfico e o trabalho infantil em Moçambique – por Rabim Saize Chiria
Vozes - @Hora da Verdade
Escrito por Redação  
Segunda, 20 Janeiro 2020 21:36
Share/Save/Bookmark

O trabalho infantil em Moçambique é uma das doenças crónica que deve ser combatida com urgência antes de afectar 99% de camada infantil. A minha potência de agir apequena-se, sobretudo, quando vejo as crianças nas ruas a trabalharem como moleques para depois receberem um valor mísero, que não cobre as suas carências básicas. São crianças que são contratadas sem condições mínimas de sobrevivência, são obrigadas a abandonarem as suas famílias e ao mesmo tempo desprovidas de escolaridade. Jesus!

Nisto, a coisa mais grave é que alguns empregadores dessas crianças fazem isso com o conhecimento da lei, que inibe o tráfico de menores para esses fins macabros. Exemplo em Maputo, a situação é alarmante, pois as crianças são submetidas a trabalhos domésticos, vendedores informais nos mercados e nas ruas. E como consequência deste cenário são obrigadas a uma mendicidade forçada, visto que o salário que eles ganham é tão mísero, que não se compara a um grau de mostarda.

Este é o momento para os provadores da lei actuarem. E outro cenário é a violência sexual. Algumas crianças são forçadas a passarem pelos ritos de iniciação, onde são ensinadas a cuidar do lar, como amar o parceiro e são dados quase todos requisitos de convivência na sociedade. É nesse processo que são estupradas e comprometendo o futuro das mesma.

O rito de iniciação não capacita a ninguém para o lar, não ensina a ninguém a amar o próximo, não ensina a ninguém a ter uma boa conduta na sociedade. Amar o seu próximo é algo subjectivo, e não só pode apreender na Igreja ou em casa, a boa conduta a prende-se em casa com os seus encarregados ou mesmo na escola, cuidar do lar pode apreender em casa dos seus pais. Afinal qual é o papel da família? Qual é o papel das escolas? Qual é o papel da igreja? Se podem apreender nessas instituições para quem incitar as crianças, adolescentes e jovens a passarem pelos ritos de iniciação que são feitas longe do convívio familiar?

Comentar


Código de segurança
Atualizar

 
Avaliação: / 0
FracoBom