SELO: O abominável Regulamento de Fazenda de 1901 - Por Ricardo Santos
Escrito por Redação   
Terça, 21 Agosto 2018 22:37

Numa medida para alavancar o processo de reforma do Estado, estabelecendo os comandos normativos para a operacionalização do Sistema de Administração Financeira do Estado, vulgo SISTAFE, foram revogados, em Junho de 2002, vários instrumentos legais retrógrados, com particular destaque para o oitocentista Regulamento de Fazenda de 1901 e suas sucessivas extensões que perduravam após a independência nacional.

 
SELO: A origem de conflito de gerações - Por Basílio Macaringue e Adriano Novela
Escrito por Redação   
Segunda, 20 Agosto 2018 21:48

A necessidade de sobrevivência e a ambição constituem duas grandes razões pelas quais o Homem mantém uma relação indissociável com a natureza e seus recursos. Esta relação existe através do trabalho, que o Homem realiza com vista a garantir a satisfação das suas necessidades. É indiscutível que, de forma geral, todo o agrupamento de seres humanos que se comunicam e interagem entre si, vivem com base num conjunto de normas, crenças, valores morais e entre outros elementos que têm como objectivo homogeneizar e controlar a conduta de todo o ser humano, enquanto inserido naquele agrupamento. À estes elementos denomina-se cultura e ao contacto que se estabelece denomina-se socialização.

 
SELO: As duas grandes versões à volta do vendaval - Por Basílio Macaringue
Escrito por Redação   
Quinta, 16 Agosto 2018 00:03

Hoje vamos reflectir à volta de um evento natural tratado de diferentes modos no seio da sociedade, particularmente, no contexto da zona sul de Moçambique. Trata-se de vendaval, fenómeno este que assola, especialmente, as famílias moçambicanas, devido a três (3) grandes razões, nomeadamente: a exposição ao risco, a deficiente capacidade de adaptação face à materialização do fenómeno e a deficiente capacidade de reposição. Assim sendo, com o seu decorrer observamos perdas de vidas humanas e de bens materiais, incluindo de infra-estruturas sociais.

 
SELO: Agro-Negócio e Campesinato. Continuidades e descontinuidade de longa duração
Escrito por Observatório do Meio Rural   
Terça, 14 Agosto 2018 22:20

A comunicação refere as formas de penetração do capital no meio rural, sobretudo do agro-negócio, numa perspectiva de ocupação de territórios com intensificação capitalista da exploração da terra, recursos naturais e trabalho, provocando transformações nos sistemas de produção locais e gerando dinâmicas de resistência e integração dos produtores (sobretudo dos camponeses).

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 8 de 112