SELO: O professor é culpado? - Por Alcides Gaspar Bazima
Escrito por Redação   
Quinta, 11 Junho 2015 07:53

Ser professor, hoje, é uma tarefa bem difícil, mas prazerosa.  O professor precisa de se dedicar aos estudos, à pesquisa, ao seu desenvolvimento profissional e aos seus alunos.

Como mediador de aprendizagem, ele participa activamente do processo de ensino, incentivando a busca de novos saberes. Ser docente, hoje é, principalmente, saber, todo o dia, como renovar a profissão, pese embora isso já não tenha espaço pois o professor moçambicano anda frustrado e mantém-se na profissão por falta de alternativa.

Esta é a profissão que já deixou de ser prestigiante, pois a maior parte dos jovens oriundos das faculdades acaba por abraçá-la como uma “retaguarda” segura. Pois, segundo eles, o pedagogo não prospera.

 
SELO: Carta aberta a S. Excia. ministra da Saúde - Por Orlando Alberto Chirrinze
Escrito por Redação   
Terça, 09 Junho 2015 07:56

Uso este mecanismo para fazer chegar a S. Excia. os meus pontos de vista sobre a gestão do Ministério da Saúde (MISAU). Reconheço que a senhora assume a direcção do MISAU num momento particularmente difícil, devido a problemas estruturais e conjunturais que o país e, muito particularmente, o sector enfrenta, ainda na ressaca da crise financeira e económica mundial, iniciada em 2008 nas longínquas terras do Tio Sam, com a queda de um banco hipotecário.

 
SELO: sujeira no Censo da Pesca Artesanal 2012 - Por trabalhadores do IDPPE
Escrito por Redação   
Sexta, 05 Junho 2015 08:27

Senhor ministro do Mar, Águas Interiores e Pescas,

Excelência

Na sequência da nota de pedido de esclarecimento sobre o caso “Censo da Pesca Artesanal 2012”, endereçada a V. Excia, referente às nossas denúncias publicadas no Jornal @Verdade, na sua edição de 30/04/2015 e 04/05/2015, temos a relatar que o chefe dos Recursos Humanos, na companhia dos seus comparsas (chefe da UGEA e Estatísticas Informática), mais uma vez sob o comando do respectivo director, marcou uma reunião na qual tentou coagir e ameaçar todos os funcionários com vista a assinarem uma lista em que constam os seus nomes.

 
SELO: O país uno e indivisível - Por Jorge Valente
Escrito por Redação   
Quarta, 27 Maio 2015 08:16

Os argumentos populistas, caducos e extemporâneos sobre a Unidade Nacional e indivisibilidade do país, propalados pela Frelimo e pelos seus dirigentes são uma farsa e podem constituir um crime contra a humanidade visto que desde o tempo colonial a etnia changana é dona de todas as oportunidades que se criam neste país e beneficiária de todas as facilidades que o tempo construiu e constrói. O país encontra-se dividido desde a independência, a partir do rio Save, em que o centro e o norte são regiões vassalas dos changanas.

 
Início Anterior 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 Seguinte Final

Pág. 84 de 101