SELO: Carta aberta ao Presidente da República e ao ministro da Economia e Finanças - Por membros da UEM
Escrito por Redação   
Terça, 05 Dezembro 2017 07:34

Digníssimos Chefe do Estado e titular da pasta financeira do país, esta pode ser a última carta que vos dirigimos para este ano de 2017 prestes a findar, ano em que para nós, docentes, técnicos, funcionários e certo grupo de estudantes da maior e mais antiga instituição do ensino superior em Moçambique, vos dirigimos, mais uma vez, com lágrimas sangrentas.

 
SELO: A verdadeira ciência complementa-se com a tradição - Por Rabim Chiria
Escrito por Redação   
Quarta, 29 Novembro 2017 06:02

Nas últimas duas semanas recebemos notícias inéditas, que dizem respeito ao homem que deu parto e do morto que regressou ao convívio familiar no distrito de Macanga, na província de Tete. Ora, sobre este fenómeno foram chamados: antropólogos, sociólogos, historiadores e mais outros académicos para darem o seu ponto de vista nos media, mas nem um deles conseguiu trazer uma explicação exaustiva.

 
SELO: Guerra contra a corrupção em Moçambique - Por Jorge Valente
Escrito por Redação   
Terça, 28 Novembro 2017 15:17

A corrupção é um mal supremo de todos os males que a Frelimo implantou em Moçambique. A corrupção está em toda vida das pessoas nos lares, casamentos, empresas públicas, privadas, na agua territorial, nas montanhas de Moçambique, no ar, no subsolo moçambicano, nas instituições publicas escolas, na cozinha, na casa de banho, hospitais, quartéis corações, almas, portanto em todo lado.

 
SELO: O PR só fala, não age - Por Julio Khosa
Escrito por Redação   
Terça, 07 Novembro 2017 08:31

O projecto de Eduardo Mondlane, em Moçambique, ainda continua sendo um sonho difícil de se alcançar. Refiro-me à unidade nacional. Essa conclusão ocorre-me devido a intolerância política entre nós os moçambicanos. Reina o espírito de aniquilar o outro cujo ser e o pensar são diferentes! Fala-se de paz mas, na verdade não há paz no país.

O chefe do Estado, Filipe Nyusi, é um homem que nos seus discursos encanta o povo. Aparenta ter boas ideias com o objectivo de unir os moçambicanos e trazer uma paz efectiva no país. Em contrapartida, o homem só fala bonito, não age. Já estamos sacturados pelo seu palavreado. Estamos enfadado pelos seus discursos promissores que nunca chegam a ter impacto na vida real. São discursos ilusórios.

 
Início Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte Final

Pág. 10 de 96