SELO: O povo é culpado! - por Júlio Khosa
Escrito por Redação   
Quarta, 23 Dezembro 2015 07:20

O Estado é uma propriedade do povo. O povo é dono do Estado moçambicano. A Constituição da República de Moçambique (CRM) refere no seu Artigo 1 que “a República de Moçambique é um Estado independente, soberano, democrático e de justiça social”. O componente “democrático” refere-se ao povo, isto é, governo do povo. Querendo isso que o povo é que traça os seus destinos. Nesses termos o governo é segundo a vontade (escolha) do povo e deve actuar com vista a responder as necessidades do povo. Mais adiante, o número 2 do Artigo 2 da CRM, diz que “o povo moçambicano exerce a soberania segundo as formas fixadas na Constituição”, significando isso que para o povo actuar democraticamente no exercício da sua soberania, precisa de observar as formas e procedimentos fixadas na CRM e na demais legislação moçambicana.

 
SELO: Médicos usam material do Hospital Provincial de Gaza nas suas clínicas privadas*
Escrito por Redação   
Terça, 22 Dezembro 2015 07:18

Saudações, Jornal @Verdade!

Somos funcionários daquele hospital de nível provincial [Hospital Provincial de Gaza], sito numa província onde se verifica muita proliferação de clínicas privadas pertencentes a médicos que ocupam cargos de chefia na mesma unidade sanitária.

As tais clínicas não possuem, ainda, todos os equipamentos auxiliares completos para o diagnóstico de doenças, pelo que usam os instrumentos do mesmo hospital em alusão para o efeito. O facto inquietante é que os chefes, que são donos das clínicas em questão, onde também são chefes, efectuam requisições para pedir exames clínicos, medicamentos e outros serviços públicos existentes no hospital provincial, sem observar o preceituado na lei.

 
SELO: Obras públicas sem rosto: Praça da OMM e Praça dos Combatentes em Maputo - Por Dércio Tsandzana
Escrito por Redação   
Quarta, 16 Dezembro 2015 07:41

Quando o assunto são as obras públicas, neste país, surgem sempre duas questões: os atrasos e a corrupção. Atrasos porque a maioria das nossas obras nunca termina em tempo útil; e corrupção, devido aos esquemas que estão por detrás destas obras nos concursos públicos. Outro pormenor que apoquenta as nossas obras públicas é a falta de responsabilização dos empreiteiros incompetentes que “burlam” o Estado e fogem antes de as obras terminarem ou depois de executá-las de forma defeituosa.

 
SELO: Mesmo “falidas”, mCel e LAM pagam milhares de dólares a angolanos e migalhas a moçambicanos - Por Dércio Tsandzana
Escrito por Redação   
Quarta, 09 Dezembro 2015 08:18

Nas vésperas do concerto do músico Angolano, Matias Damásio, começaram a circular fotos nas redes sociais, fotos sobre a tabela remuneratória que regulou os "cachet" dos artistas que fazem parte do apelidado "Show do ano", com passagem pelas cidades de Maputo e da Beira, entre 20 e 27 de Novembro passado. O propósito deste artigo não é uma mera comparação que irei a seguir fazer, mas, é preciso não se calar enquanto isso sucede. Ademais, não sou profissional da área e não percebo nada de marketing cultural, mas, escrevo como cidadão que se indigna com o que acontece na nossa música.

 
Início Anterior 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 Seguinte Final

Pág. 91 de 121