Toma que te dou: - Senhor, já chegámos!
Escrito por Alexandre Chaúque   
Quinta, 31 Julho 2014 10:19

A cidade de Inhambane, onde eu moro, nunca vai fazer sentido sem o mar, sem a baía que eu venero de forma incessante. Eu também sou um peixe, não me canso de marejar o meu espírito jovem, cada vez mais predisposto a novas batalhas pela sensatez. Adoro o mar. E já percebi que sem este lençol esplendoroso que ora vaza ora enche, num ciclo de não acabar, a minha vida é esbatida.

Actualizado em Quinta, 31 Julho 2014 18:12
 
Toma que te dou: Ela pensa que sou sonâmbulo
Escrito por Alexandre Chaúque   
Quinta, 24 Julho 2014 20:48

Como uma estrela
Numa noite escura e sem luar
Brilhaste na minha incerta
Meu amor
Carregaste em ti
Bocados de mim
Como é bom saber que tu nasceste para mim

Xiricos cantaram
Tudo à minha volta se transformou
Roseiras pariram sóis ardentes de amor
Hortêncio Langa

Actualizado em Quinta, 24 Julho 2014 21:38
 
Selo: Quando a arrogância sufoca a razão
Escrito por Coutinho Macanandze   
Quinta, 17 Julho 2014 16:03

Nos dias que correm, várias vozes vociferam com a incipiente Governação do actual regime no poder, porque a injustiça, intolerância e a disparidade política, económica, social e cultural impera da forma mais cruel possível.

Actualizado em Quinta, 24 Julho 2014 21:39
 
Selo: O esmurrar do conceito “Unidade Nacional”
Escrito por Coutinho Macanandze   
Quinta, 17 Julho 2014 15:14

Um dos conceitos que tem sido esmurrado consciente ou inconscientemente pelos nossos fazedores políticos prende-se com a “Unidade Nacional”.

Uma expressão que acaba engravidando a minha triste mente, porque nem sequer os propaladores tem domínio ou conhecimento do que dizem, muito por culpa do desconhecimento do seu significado inacabado. Porque não se pode falar de “Unidade Nacional”, sem conhecer as nossas raízes, identidade e a génese da nossa história.

Actualizado em Quinta, 24 Julho 2014 21:39
 
Início Anterior 91 92 93 94 95 96 97 98 Seguinte Final

Pág. 93 de 98