SELO: defendendo o direito à saúde em Moçambique - Por Namati
Escrito por Redação   
Quarta, 22 Abril 2015 08:05

Em finais de 2013, a Maria constatou que emagreceu muito rapidamente, sentia-se fraca e sem força para trabalhar na machamba. Em Fevereiro, com quatro meses de gravidez, e vivendo numa zona rural e sem opção de transporte público, andou a pé 26 quilómetros para o centro de saúde mais próximo. Era a primeira vez, em dois anos, que ela ia a uma unidade sanitária. A Maria pediu para fazer o teste de VIH/SIDA, mas a enfermeira respondeu que o centro estava cheio e que ela teria de voltar outro dia. Sem fazer nenhuma pergunta nem exame físico, a enfermeira apenas receitou paracetamol.

 
SELO: Francisco Vieira comete desmandos no Instituto Superior Politécnico de Songo* - por Por Castigo Macoto
Escrito por Redação   
Quarta, 15 Abril 2015 07:57

Estive em Songo aquando da realização da gala “Ngoma Moçambique”, a 10 de Abril corrente, mas porque gostaria de conhecer melhor a vila cheguei no locala 08 de Abril. Feliz e casualmente, encontrei um grupo de jovens, que por coincidência são docentes do Instituto Superior Politécnico de Songo (ISPSongo), num dos pontos de concentração e entretenimento, onde o consumo de bebidas alcoólicas e o jogo de bilhares é o dia-a-dia após um dia de trabalho em toda a vila de Songo. Pude constatar que aquele não era somente um momento de distracção, mas também para afogar as mágoas de um emprego que se torna desgastante e aborrecido a cada dia que passa. Porquê?

 
SELO: A ilusão de falar nos órgãos - Por Otto da Cruz Thumbo
Escrito por Redação   
Quarta, 08 Abril 2015 07:50

Tenho acompanhado com muita atenção alguns líderes de organizações do nosso país, sobre tudo de partidos políticos, a defenderem a ideia de que os seus membros devem somente expressar-se dentro dos órgãos instituídos nas suas organizações. Há um tempo, Manuel de Araújo defendeu, perante os órgãos de comunicação social, a ideia segundo a qual o chefe da bancada parlamentar do seu partido na Assembleia da República deveria ser um deputado proveniente do círculo eleitoral da Zambézia, e apresentou os seus argumentos. Entretanto, a liderança do seu partido ignorou os seus fundamentos e a resposta foi que ele não expôs a sua ideia dentro dos órgãos do partido.

 
SELO: Dos constantes cortes de energia pela EDM à oportuna réplica da experiência do Senegal, por Francelino Zeúte
Escrito por Redação   
Quinta, 02 Abril 2015 07:51

Em Janeiro de 2011, no Senegal, um grupo de cidadãos constituiu um movimento que chamou Y’en a Marre (trad – BASTA). Este movimento é fruto, dentre várias questões, de frustrações dos jovens relativamente às altas taxas de desemprego e subemprego e à ausência de perspectivas de futuro entre outras questões candentes. Contudo, apesar, infelizmente, das questões acima arroladas serem também uma realidade em Moçambique, estas não são a razão do texto. O movimento constituído no Senegal, - Y’en a Marre, não ganhou notoriedade devido às razões acima enumeradas, ganhou, sim, pelos protestos realizados em função dos constantes cortes de energia que paralisavam a cidade capital, Dacar, e outras regiões do país.

Actualizado em Quinta, 02 Abril 2015 08:38
 
Início Anterior 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 Seguinte Final

Pág. 98 de 111