SELO: Estêvão Matsinhe, o rosto do regionalismo implantado em Moçambique - Por Jorge Valente
Escrito por Redação   
Terça, 19 Maio 2015 15:07

O tempo e o diabo sempre esconderam o regionalismo e o colonialismo doméstico que a Frelimo instalou e consolidou em Moçambique. Mas como tudo o que se esconde o tempo exterioriza ao longo do próprio tempo, eis que no dia 10 de Maio de 2015, numa altura em que o povo foi desprezado e se instalara um governo ilegal, o senhor Estêvão Matsinhe foi a Quelimane informar à população que os males que a Frelimo instalou estão em todos os lados.

A sociedade sempre reclamou devido à gravidade dos males que a Frelimo criou neste país, como é o caso da corrupção, do nepotismo, do amiguismo, da arrogância, do suborno, da negligencia, do regionalismo, do tribalismo e do enriquecimento ilício em todos os sectores públicos e privados.

 
SELO: Declaração de Maputo da Sociedade Civil Africana sobre Justiça Climática
Escrito por Justiça Ambiental   
Sexta, 15 Maio 2015 09:14

Defensores de Justiça Climática, representantes de comunidades e de movimentos sociais reuniram-se em Maputo, Moçambique de 21 a 23 Abril de 2015, para abordar as raízes, manifestações e impactos das mudanças climáticas em África e para refletir sobre as respostas necessárias para essas crises. No final das deliberações, foi acordado que África está a ser desproporcionalmente afectada pela crise climática, embora não tenha contribuído significativamente para o problema. A conferência também observou que a crise climática é de natureza sistémica e é resultado de sistemas económicos e políticos defeituosos que exigem revisão urgente. Em particular, a reunião considerou que África foi maciçamente saqueada ao longo dos séculos e continua a sofrer os impactos graves da exploração de recursos e conflitos relacionados.

Actualizado em Sexta, 15 Maio 2015 09:51
 
SELO: Tenho um conflito laboral e procuro ajuda* - Por João Paulo Baptista
Escrito por Redação   
Quinta, 14 Maio 2015 11:44

Caros senhores,

Sou cidadão português, trabalhei em Moçambique no ano de 2014 e tenho um conflito “laboral” com uma empresa de Maputo, além de suposta situação ilegal no vosso país, decorrente de um processo de legalização objectivamente fraudulento, em que me vi involuntariamente envolvido. Em termos noticiosos, quando muito será uma perspectiva, a das pessoas estrangeiras que acabam em situação ilegal, sendo vítimas de empresários nada escrupulosos. A conhecida crise económica que se vive na Europa e em Portugal em particular, levou-me a aceitar um desafio que se mostrou ruinoso.

 
SELO: Exigimos a Suspensão e Invalidação Imediata da “Auscultação Pública do Plano Director do ProSavana”
Escrito por Redação   
Quarta, 13 Maio 2015 11:11

A Comissão Arquidiocesana de Justiça e Paz de Nampula e Acção Académica para o Desenvolvimento das Comunidades Rurais - ADECRU, movidas pelo compromisso e missão social e de defesa dos direitos humanos e da dignidade humana, têm participado e acompanhado de perto, com apreensão e indignação, as chamadas reuniões de auscultação pública da versão “Draft Zero ou versão inicial” do Plano Director do ProSavana promovidas pelo Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar (MASA), em representação dos Governos de Moçambique, Brasil e Japão. As mesmas iniciaram no passado dia 20 de Abril de 2015 e prolongam-se durante o mês de Maio. As auscultações surgem como resposta formal e cosmética dos três governos às irrefutáveis críticas e fundamentadas demandas das comunidades do Corredor de Nacala, organizações da sociedade civil e movimentos do campo, que dizem não ao ProSavana e exigem a instauração de um diálogo democrático, transparente e inclusivo na definição das prioridades soberanas de desenvolvimento da agricultura do país.

Actualizado em Quarta, 13 Maio 2015 11:21
 
Início Anterior 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 Seguinte Final

Pág. 98 de 114