SELO: Dos constantes cortes de energia pela EDM à oportuna réplica da experiência do Senegal, por Francelino Zeúte
Escrito por Redação   
Quinta, 02 Abril 2015 07:51

Em Janeiro de 2011, no Senegal, um grupo de cidadãos constituiu um movimento que chamou Y’en a Marre (trad – BASTA). Este movimento é fruto, dentre várias questões, de frustrações dos jovens relativamente às altas taxas de desemprego e subemprego e à ausência de perspectivas de futuro entre outras questões candentes. Contudo, apesar, infelizmente, das questões acima arroladas serem também uma realidade em Moçambique, estas não são a razão do texto. O movimento constituído no Senegal, - Y’en a Marre, não ganhou notoriedade devido às razões acima enumeradas, ganhou, sim, pelos protestos realizados em função dos constantes cortes de energia que paralisavam a cidade capital, Dacar, e outras regiões do país.

Actualizado em Quinta, 02 Abril 2015 08:38
 
SELO: A hi nyoxeni (alegremo-nos) - Por Edison Saranga
Escrito por Redação   
Quarta, 25 Março 2015 11:08

Efectivamente, a designação “selecção nacional”, agora, vale o que vale. Ou andam(os) todos distraídos com outras prioridades, ou, então, a notícia do difícil e vergonhoso apuramento da selecção nacional de basquetebol para o “Africano” da Tunísia, em masculinos, não obedecia a critérios básicos de noticiabilidade e de debate nos horários nobres das nossas televisões.

O impressionante é que chegámos ao cúmulo de, na segunda mão, ganharmos por um ponto, e darmo-nos por felizes. Quem diria! Estamos a colher os primeiros resultados da consultoria que alguns entendidos na matéria e visionários – os sempre bem- sucedidos sanguessugas do nosso basquete – prestaram à Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB).

Actualizado em Quinta, 26 Março 2015 08:16
 
SELO: Quando é que o Governo vai levar a sério os problemas dos funcionários? - Por Egmada
Escrito por Redação   
Terça, 17 Março 2015 11:53

Depois de um período de cerca de 30 dia de greve dos médicos devido à falta de aumento salarial e criação de outras condições de trabalho, em Julho de 2014, o Governo aprovou o Regulamento do Estatuto do Médico, no qual, entre vários aspectos, atribui-se, com efeitos imediatos, um subsídio de exclusividade de 40% sobre o salário base desta classe. Foi, ainda, atribuído aos médicos um subsídio de casa correspondente a 10.000 mensais, também com efeitos imediatos, desde a data de aprovação do referido regulamento.

Actualizado em Terça, 17 Março 2015 11:55
 
SELO: Estudar para quê enquanto não nos for permitido pensar?* - por Por Cristóvão Nenengue
Escrito por Redação   
Terça, 17 Março 2015 11:29

Não podemos partilhar ou manifestar o que pensamos, numa sociedade que exige muito dos que frequentam alguma escola. O contexto actual do cenário político e académico faz emergir situações que me fazem pensar que estamos numa nação sem leis claras sobre o que realmente as pessoas pretendem, pois não me parece que tenhamos uma visão clara sobre o que é bom e deve ser elogiado.

 
Início Anterior 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 Seguinte Final

Pág. 111 de 123